Funções Secretariais

Passo a passo para elaborar uma redação exemplar

Habitualmente nos deparamos com redação, seja por meio de uma entrevista profissional, de um teste para vestibular, um TCC / artigo monográfico ou até mesmo na elaboração de um e-mail, relatório, carta, documento oficial para uma organização.

Muitas pessoas temem este tema pelo fato de apresentarem um certo nível de bloqueio mental, achando que não tem capacidade de escrever um texto ganhador de uma nota excelente ou digno de um prêmio nobel.

É neste ponto que as pessoas se enganam completamente, pelo simples fato de não conhecerem os critérios básicos da equipe avaliadora.

Neste artigo você irá aprender os princípios básicos de como fazer uma boa redação e se sair bem ao expressar a sua linha de pensamento em todos os sentidos, seja no lado profissional, estudantil ou até mesmo pessoal, mesmo que não tenha muita prática na escrita 😉

Os critérios básicos da equipe avaliadora

Os corretores não estão procurando um texto transformador, inovador ou uma ideia extraordinária.

Eles apenas se preocupam pela forma textual, ou seja, eles querem que um texto apresente três princípios básicos:

  • Organização
  • Coerência
  • Fidelidade ao tema 

Bem, sabendo disso, muita coisa já muda né?

É importante também entendermos o significado da palavra Redação, que segundo o dicionário, sintetiza o seguinte:

Ação ou efeito de redigir, de escrever com ordem e método;
Expressão dada ao pensamento.

Em outras palavras, a redação está presente em todos os sentidos da nossa vida, e saber como conectar as nossas ideias na forma textual adequada é o segredo para não só ser aprovado nos testes, como também para saber se comunicar melhor.

 

A estrutura de uma redação exemplar

Os avaliadores não enxergam a redação como um único texto fechado e compacto, eles analisam o texto através da sua estrutura, que é feito por etapas.

Por isso que você deve se preocupar com cada uma dessas etapas, para garantir que todas estão atendendo ao que eles esperam.

Não há como fazer uma boa redação de outra forma que não seja dividindo e analisando individualmente a introdução, o desenvolvimento e a conclusão.

Qualquer tentativa de misturar esses 3 fragmentos sem cautela irá destruir a sua avaliação. Com isso em mente, podemos prosseguir.

Uma das primeiras coisas que devemos nos preocupar ao desenvolver um texto é com a sua estrutura. É aqui que organizamos o que iremos discorrer através de três etapas:

1. Introdução

Aqui é onde apresentamos o que iremos falar na redação. É um parágrafo bem básico e curto, porém é um ponto que requer muita atenção, pois é aqui que você deverá prender a atenção do leitor.

A introdução precisa ser direta, simples e objetiva. Tenha em mente o seguinte:

  • Todo o texto girará em torno da introdução que você elaborou;
  • O tamanho ideal de uma introdução é de 2 ou 3 frases;
  • Em cada parágrafo posterior do desenvolvimento, devem ser defendidas as frases elaboradas na introdução. Digamos que a introdução de uma redação sobre “Chocolate” fosse:

Chocolate faz bem à humanidade. Porém, apesar de trazer benefícios, o seu consumo em excesso pode trazer prejuízos.”

O primeiro parágrafo do desenvolvimento dessa redação teria que explicar o motivo do chocolate fazer bem à humanidade, e o segundo parágrafo explicaria como é possível o consumo em excesso trazer prejuízos. Note que a primeira frase da introdução seria explicada no primeiro parágrafo do desenvolvimento e a segunda frase seria explicada no segundo parágrafo.

Seguindo essa sugestão, garantimos nota no critério “Organicidade”, pois mede o quão organizado é o seu texto. Se você cuidar para que cada frase da introdução seja explorada em um parágrafo, seu texto terá uma estrutura bem lógica e organizada.

Dica de pergunta para desenvolver a sua introdução em relação ao tema: o que eu penso sobre isso?

2. Desenvolvimento

O desenvolvimento não pode ser uma continuidade da introdução. Esses dois têm uma relação íntima, mas independente.

Isso significa que, ao começar o desenvolvimento, é como se estivéssemos começando o texto novamente. Nunca devemos iniciá-lo com termos como: Por causa disso […], Com isso […], Baseado nisso […], Dessa maneira […], entre outros.

Para saber se está fazendo certo, faça um teste: se cortássemos a introdução fora, o texto ficaria sem sentido? Se a resposta for sim, fizemos uma dependência entre eles.

O ideal aqui é criar interdependência entre introdução e desenvolvimento. Assim, o leitor poderia começar pelo desenvolvimento sem problemas. Isso é um sinal de que o parágrafo consegue sobreviver sozinho.

A missão do desenvolvimento é provar ao leitor o nosso ponto de vista. E fazemos isso com argumentos.

Assim, como explicamos acima, o desenvolvimento do seu texto dependerá da apresentação da sua introdução. O objetivo aqui é explicar, através de argumentos e fatos, cada frase da introdução em um parágrafo.

O desenvolvimento pode ser obtido por meio das perguntas: “como posso provar isso?”, “Quais as causas disso?”, “Quais as consequências disso?”, “Como isso acontece?”, “De que forma posso realizar isso?”.

3. Conclusão

A conclusão, ao contrário do que muitos pensam, não é lugar de simplesmente repetir o que já foi dito.

Ela precisa ser um fechamento que acrescenta algo ao texto. Pode ser uma retomada da discussão, mas de uma forma criativa, que não se limite a repetições.

Pode também ser usada para fazer advertências, uma análise crítica do tema discutido ou, até mesmo, fazer sugestões, caso o tema trate de um problema social, por exemplo.

É importante ressaltar aqui detalhes que não devem constar nunca em uma conclusão:

  • Conclusão não é lugar para novos argumentos e ressalvas. Os argumentos / ressalvas devem estar no desenvolvimento do texto, sempre.
  • Conclusão não pode trazer surpresas para o leitor, deve apenas fazer um fechamento sobre tudo, uma lição que pode ser tirada sobre o assunto que você já defendeu
  • Conclusão não deve ter mais de 4 frases.

E as perguntas para elaborar uma conclusão exemplar é: Que lição pode ser tirada disso?”, “Como resumir a solução para esse problema?”, “O que merece ser destacado nesse raciocínio?”

 

Os 6 passos para elaborar uma redação exemplar

Aqui vão algumas dicas de como dissertar uma redação exemplar:

1 – Organize sua linha de pensamento

Antes de escrever o texto em sí, é óbvio que você precisará refletir alguns instantes sobre o tema e o conteúdo a ser discorrido.

Por isso é importante o momento do “brainstorming” – podemos relacionar com o conceito de “tempestade de ideias” – o qual possibilita a extração de todas as ideias que surgirem na mente dado um determinado tema / pergunta.

Essas ideias devem ser transcritos em um rascunho do jeito que vierem à mente. Neste momento não estamos preocupados com a estrutura do texto nem com a perfeição das frases. Estamos focados em construir o conteúdo, com base puramente nas ideias.

Uma boa forma de organizar suas ideias de rascunho é usar os princípios do mapa mental.

2 – Utilize o Método KISS

“KISS” (beijo em inglês) faz uma analogia com o termo “Keep It Short and Simple”, que expressa o comportamento de ser objetivo, simples e claro.

Após o brainstorming, nesta etapa você deverá sintetizar ao máximo a sua linha de pensamento, seguindo três regras:

  • Simplicidade
    Você está simplificando suas ideias ou está deixando complexo demais?
    Busque frases curtas. Conecte as frases, organizando as ideias com o uso de palavras conhecidas e adequadas.
  • Clareza
    Você está comunicando sem deixar nada subentendido pelos leitores?
    Ter clareza na comunicação é algo fundamental e o segredo para isso é não subentender nada e não imaginar que o leitor saiba o que você quer dizer.
  • Objetividade
    O que é realmente necessário para o seu texto / argumento / narrativa?
    Ser objetivo não é ficar dando voltas e/ou “enchendo linguiça”, mas sim discorrer sobre os pontos realmente relevantes que trarão todo o sentido para o seu conteúdo do começo ao fim. Para isso, não repita ideias nem palavras.

3 – Busque referências

Está sem muitas ideias boas para rechear o seu texto? Uma dica muito importante é ler e pesquisar bastante sobre o respectivo tema. Quanto mais referência você tiver, maior será o seu repertório e consequentemente, mais relevante e coeso seu texto se tornará.

Abuse nas pesquisas! Citações também são sempre bem-vindas 😉

4 – Seja coerente

Bem, nesta altura você já está finalizando o seu rascunho de redação… êÊê \o/
Mas calma! Falta mais alguns pontos importantíssimos antes de passar a limpo o seu texto.

A coerência (originada da palavra coesão) é fator primordial para se escrever bem e ser bem avaliado pela banca 🙂

É através da coerência que o todo se completa com começo, meio e fim. Para isso, é necessário estabelecer uma ordem para que as ideias se completem e formem o corpo da narrativa.

Explique, mostre as causas e as consequências.

Um exemplo é obedecer uma ordem cronológica, apesar de não ser criativa. Nesta linha, parta do geral para o particular, do objetivo para o subjetivo, do concreto para o abstrato.

Usar figuras de linguagem e metáforas enriquecem a redação. Se puder, não deixe-as de fora!

O maior ponto de atenção é não mudar de assunto de repente. Você é o condutor da sua história, você é a única persona que levará o leitor em algum destino, de maneira leve e coerente, através da sua própria linha de argumentação.

5 – Amarre bem o seu texto

Essa é uma dica básica que todos sabem, mas que é essencial! E por incrível que pareça, muitas não colocam em prática… Então, é bom relembrar.

Você sabe a diferença entre uma receita e um texto? A receita vem com frases soltas e um texto apresenta conexão entre elas.

Para que o texto não pareça uma receita de bolo, utilizamos os chamados nexos oracionais, que em outras palavras, são as famosas conjunções (mas, porém, portanto, todavia, etc…). Veja o exemplo abaixo:

Estava frio. Levantei cedo. Precisava ir para a aula. Foi um esforço. Valeu a pena. Finalmente aprendi a matéria.

Vamos estabelecer uma conexão entre essas frases:

Apesar de estar frio, levantei cedo, pois precisava ir para a aula. Isso foi um esforço, mas valeu a pena. Afinal, aprendi a matéria.

Portanto, cuide para que seu texto não fique com as frases soltas nunca. Dê sempre conexão entre elas.

6 – Leia, Releia, Leia e Releia

Lembre-se, é fundamental pensar, planejar, escrever e reler seu texto.

Mesmo com todos os cuidados, pode ser que você não consiga se expressar de forma clara e concisa. A pressa e o nervosismo podem atrapalhar.

Com calma, verifique se os períodos não ficaram longos, obscuros. Veja se você não repetiu palavras e ideias.

À medida que você relê o texto, essas falhas aparecem, inclusive, erros de ortografia e acentuação. Inclusive, você consegue aprimorar ainda mais a forma como expõe as suas ideias ao reler várias vezes o texto 😉

 

Sou estudante e preciso encarar o teste de redação! E agora?

Segundo o Guia do Estudante, o formato de redação escolhido por grande parte dos vestibulares, inclusive o Enem, é a dissertação-argumentativa.

Esse gênero textual possibilita que o estudante construa uma tese inicial e defenda diferentes pontos de vista ao longo do texto.

Eles separaram algumas dicas para alunos como você construir um bom texto:

1. Verifique o tema da redação e faça uma leitura cuidadosa da prova

Essa é a principal dica e vai influenciar todo o seu desempenho. Leia e releia a proposta e os textos de apoio. Dê uma lida também nas questões da prova. Pode ser que alguma informação ajude no tema da redação.

Atenção: essa etapa é essencial para que você não fuja do tema.

2. Elabore o projeto de texto e escolha uma tese

Esse é o momento em que você deve escolher a sua abordagem e os argumentos que usará para defender sua tese. Separe as ideias principais sobre o assunto em um rascunho.

Na tese, escolha um tema que você domine para argumentar e expor o seu ponto de vista.

3. Faça a primeira versão do texto

Nessa etapa do rascunho, preocupe-se com o conteúdo e não com a gramática. Foque sua atenção para organizar os argumentos da melhor forma.

As ideias devem fazer sentido e devem estar ligadas entre si. Um texto bem amarrado valoriza a sua argumentação e fará com que o corretor não se sinta confuso ao lê-lo.

4. Revise o texto

Agora é hora de corrigir a gramática e encontrar outros errinhos na sua redação. Caso tenha dúvida na grafia de alguma palavra, tente substituir por outra expressão.

Preste atenção se não existe alguma frase sem sentido perdida pelo texto e avalie se há coerência entre as ideias.

5. Passe o texto a limpo

Finalmente, essa é a última etapa da redação. Por isso a importância de preparar seu texto em um rascunho.

Respeite o limite de linhas e não coloque informações fora da área de correção.

Por fim, lembre-se da estrutura básica da dissertação-argumentativa:

Lembre-se da estrutura básica da dissertação-argumentativa
Introdução Apresente o tema e o recorte que você fará dele. Evite fazer rodeios. É recomendável que a tese seja exposta para direcionar a leitura e mostrar sua linha de raciocínio. Lembre-se de que na dissertação seus argumentos devem ser usados para convencer quem estiver lendo.
Desenvolvimento Defenda a sua tese apresentando ideias que a justifiquem, de forma consistente, e apresente seus argumentos. Essa parte é importante, por isso coloque tudo da forma mais clara possível para que o leitor compreenda seu ponto de vista. Para deixar organizado, uma dica é reservar um parágrafo para cada argumento, analisando todos os aspectos que você quer abordar.
Conclusão Retome as ideias expostas na introdução, junto com os principais argumentos que a justificam para confirmar a tese e encerrar o debate. Diferente das outras redações, no Enem é nessa parte que você deve propor a solução ao problema, a partir dos pontos já levantados durante sua redação.

Como escrever emails profissionais mais eficientes?

É muito comum pessoas encaminharem emails com histórias desconexas que não tem sentido e nenhum pedido por trás das palavras.

Isso não gera coerência, objetividade, não prioriza o nosso precioso tempo e a chance de algo ficar subentendido e ser executado algo errado é muito grande, por não haver clareza na comunicação.

Neste artigo eu explico de forma detalhada como ser mais eficiente ao disseminar a sua mensagem através de emails profissionais.

 

 

Use corretamente as conjunções gramaticais

As conjunções são vocábulos de função estritamente gramatical utilizados para o estabelecimento da relação entre duas orações, ou ainda a relação dois termos que se assemelham gramaticalmente dentro da mesma oração.

Neste artigo eu explico como usar corretamente as conjunções gramaticais para você redigir uma boa carta, redação e email, bem como se comunicar corretamente no ambiente corporativo.

E ai, gostou do artigo? =)

Se você tem alguma história ou dica bacana sobre o tema, compartilhe aqui com a gente!

Comentários